CONTOS

O carro vermelho

Eu própria não sabia quem estava a tentar convencer quando disse que não ia cair mais no charme barato do J. Visto que, claramente, isso não estava a resultar bem. Cada vez que o via, via simultaneamente todas as promessas tontas que tinha feito à frente do espelho destruírem-se à minha frente.
Era a típica história de “apaixonei-me por um bad boy”. Realmente patética, confesso. E eu sabia-o melhor do que ninguém. E sempre que eu me julgava preparada para enfrentar aquela incorporação de testosterona, fumo de cigarro, casacos de couro, sorrisinhos vazios e cabelo castanho encaracolado sem deixar que ela me afetasse, na realidade eu não estava. Eu era mais esperta do que isto, para me deixar enrolar por um homem que não levava nada a sério e pior, que ainda se ria de mim por eu não partilhar a mesma perspetiva de vida despreocupada.

Eu sabia que ele não era flor que se cheirasse, e que estava melhor a procurar uma pessoa séria, que realmente idealizasse um futuro comigo, mas bastava ele estalar os dedos que eu voltava a rastejar para ele…. ler mais